Acervo

Autores

Enciclopédia Ilustrada do Choro no Séc. XIX

Luís Americano

Rego, Luís Americano
  • Compositor
  • ∙ Clarinetista
  • ∙ Saxofonista

Iniciou os estudos de clarineta aos 13 anos com o pai, o mestre de banda Jorge Americano. Foi músico do Exército em Maceió e em 1921 transferiu-se para o Rio de Janeiro, passando a atuar como músico profissional em diversas orquestras, entre elas as de Romeu Silva, Simon Bountman e Justo Nieto. Começou a participar, como solista de clarineta e saxofone, de várias gravações realizadas na Odeon, tocando choros, polcas, maxixes e valsas de sua autoria e de outros autores como Freire Júnior e Júlio Casado. Em 1932 integrou o Grupo da Guarda Velha de Pixinguinha e, continuando a realizar gravações como solista de suas músicas, firmou-se, na década de 30, como grande compositor e um dos maiores clarinetistas brasileiros. Nesta época acompanhou dezenas de cantores em arranjos de Pixinguinha e Radamés Gnattali. Participou do Trio Carioca com Radamés ao piano e Luciano Perrone na bateria. Atuou também no teatro de revista e em dancings. De 1939 até 1950 foi músico de estúdio das orquestras da Rádio Mayrink Veiga, e de 1950 até a sua morte, da Rádio Nacional. Entre suas músicas estão alguns clássicos do repertório do choro como É do que Há, Assim Mesmo, Sorriso de Cristal, Numa Seresta, Intrigas no Boteco do Padilha, além das valsas Lágrimas de Virgem, Minha Lágrima e Ao Luar.

Data detalhada de nascimento

02.02.1900

Data detalhada de falecimento

29.03.1960

Natural

Aracaju - SE